Twitter Updates

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Ei!! Scletzosteichthyes!!! Vai tomar no teichthyes!!!



Estava vendo na tv uma competição de natação quando o narrador falou sobre a depilação que os nadadores precisam fazer para ganhar mais velocidade. Não vou aqui conversar sobre o formato dela (coração, tocha, brasilian wax, mausoléu egípcio, garrincha) ou o procedimento utilizado (cera quente, laser, lâmina de barbear, ralador de batata). Prefiro lembrar que essa depilação, muito mais do que a questão da diminuição do atrito com a água, é obrigatória devido à tragédia ocorrida nas eliminatórias da terceira divisão de natação de Belfast em 1957.

O Tcheco Johannes Kröneger era muito conhecido em seu país. Primeiro porque sua velocidade no nado borboleta levou sua equipe de revezamento ao maior campeonato de sua categoria. Segundo porque ele nunca tinha cortado pêlo algum de seu corpo. Johannes era adepto da seita religiosa Fürbestolken (pêlos sagrados de meu rei em português) que pregava que nenhum dos seus quatro seguidores poderiam cortar, barbear, arrancar, tosar ou podar nenhum fiapo sequer pois isso poderia trazer danação eterna quando morressem e fossem para o céu. O líder da Fürbestolken na época justificava dizendo "lá em cima é frio pra C#$#%#".

Quando saltava na piscina ele se destacava. Parecia um chipanzé caindo do galho. Seus adversários viam Johannes com um misto de espanto e nojo. Na verdade mais nojo do que espanto. Acho até que era um nojo espantoso.

Mas Johannes tinha um problema. Seus pêlos absorviam muita água, o que os cientistas chamavam de "absorção líquida", e ele começava a inchar virando uma bola peluda. Por isso ganhou o carinhoso apelido de Scletzosteichthyes (baiacu).

Tudo era festa na manhã de 17 de agosto de 1957 nas eliminatórias de natação de Belfast. O complexo esportivo estava tomado pela torcida Tcheca que, esperando seu maior e mais peludo atleta no nado borboleta gritava histérica:
- Scletzosteichthyes, scletzosteichthyes, scletzosteichthyes.

Quando ele surgiu para o revezamento a arquibancada veio abaixo. Sua pelugem brilhava como nunca, parecendo a crina de um cavalo puro sangue. Se uma raposa pudesse um dia fazer parte de um casaco com metade da textura, volume e sedosidade, ela seria uma raposa feliz (e morta). Tudo parecia perfeito, porém, quando a prova começou, o nervosismo tomou conta da equipe da antiga Tchecoslováquia.

O primeiro atleta não nadou bem, talvez porque não tinha muita força em seu braço direito ou talvez porque não tinha o esquerdo. Quando o revezamento colocou o segundo nadador na piscina a equipe Tcheca já estava em sétimo lugar. Só não eram os últimos porque os atletas da Bulgária tinham hidrofobia e não entraram na água. Então chegou a vez de Johannes.

Ele se jogou na piscina com a determinação de trazer mais uma medalha para sua pátria. Mas o pior aconteceu. Sua carapaça felpuda começou a sugar a água de maneira nunca antes vista, parecia uma draga em um açude. Os atletas adversários não conseguiam mais nadar tamanha a força da correnteza criada pelo macaco tcheco. Pouco a pouco a piscina se transformou em uma pequena poça d´água. Foi quando os atletas dos outros países, na tentativa vã de terminar a prova, se jogaram na piscina já vazia. O atleta da Romênia ficou com a cabeça entalada no ralo da piscina tamanha a velocidade de seu mergulho. Dor e desespero tomaram conta da competição enquanto Johannes rolava de um lado para o outro das bordas.

A equipe Tcheca foi desclassificada – fato comemorado pelos búlgaros que assim conseguiram o inédito sétimo lugar na competição.

Johannes nunca mais foi o mesmo. Parou de nadar, pelou todo seu corpo e hoje vive nas florestas do Congo balançando nos galhos e catando piolho. Deixou uma grande contribuição para a humanidade, o banho Tcheco (que significa molhar os pêlos) e uma enorme saudade para seu país que nunca mais viu ninguém nadar tanto quanto seu amado baiacu.

PS: Descobriram mais tarde que naquele fatídico dia Johannes tinha feito alongamento capilar, o que explica o tamanho de seus pêlos e o fato de um dos atletas turcos ter desaparecido dentro dele.

Um comentário:

Anônimo disse...

Blogzinho lixo esse seu!!!